sobre a arquiteta





  Com uma visão contemporânea do habitar, a profissional acredita que a boa arquitetura influencia a qualidade de vida, e apresenta soluções práticas, criativas e funcionais, inspiradas na história pessoal de cada um. É o que ela chama de 'arquitetura afetiva', a casa que é a sua cara, independente de limites de metragem ou orçamento.

  Formada em 1986 pela Universidade Bráz Cubas, de Mogi das Cruzes, Rachel sabe que um bom projeto é fruto, além de muito conhecimento técnico, do entendimento das necessidades e desejos mais subjetivos do cliente, e da procura por inspiração não apenas em publicações e mostras do setor, mas em experiências de vida.